Cobertura: Primeiro dia do Festival Mundo 2013

1378576_417042035064719_2068041794_n

O que chama atenção para quem chega cedo ao festival, que abriu as portas da Usina Cultural Energisa às 15 horas e as apresentações começaram as 16 horas, é o pouco público presente para ver as bandas. Cheguei atrasado no 1º dia do festival e peguei apenas as três últimas músicas da primeira atração, a banda paraibana Licenciosa, mas deu pra perceber que a maioria das pessoas que estavam ali vendo o show ou era da imprensa ou da produção do festival. No palco, do pouco que deu pra acompanhar a banda, pareceu que o Licenciosa faz um rock derivativo, que serve apenas para acompanhar a bebedeira de amigos em algum pub da cidade. A parte instrumental era eficiente dentro das suas limitações, mas o vocal pálido e letras sobre qualquer coisa não era tão convidativas.

Finda essa apresentação, foi hora de ir para outro palco, um pouco maior que o primeiro, para logo começar a segunda atração. A existência de dois palcos no festival cria um ótimo dinamismo e deixa um pequeno espaço tempo entre uma banda e outra. Assim, pouco após o Licenciosa, foi a vez do instrumental paraibano Procura-se Fabiano se apresentar. Formado por três Fabianos, o trio apóia no rock simples para passear em meios a grooves, jazz, experimentações, ritmos nordestinos, entre outros estilos distintos, que os fazem parecer um crossover entre Macaco Bong e o Conjunto Musical Do Amor. Tocando com competência para pouquíssimas pessoas, fato ironizado algumas vezes pela própria banda, deu as suas performances um clima de jam session e fugiam do básico guitarra-baixo-bateria ao incrementar pífano e efeitos vocais nas suas músicas. Continuar lendo

Anúncios