Cobertura: Lollapalooza Brasil 2013 – primeiro dia

O mais do que esperado Lollapalooza Brasil 2013 ampliou a quantidade de dias e diminuiu a quantidade de público, objetivando maior conforto e mais música. Digamos que parcialmente conseguiu. Distribuindo dezenas de apresentações entre três palcos maiores (Cidade Jardim, Butantã e Alternativo) e outros menores ( Kidzapalooza, Acesso e Perry), o que se viu no Jockey Club de São Paulo realmente foi música em toda parte (e, justiça seja feita, shows em sua maioria acima da média) e uma organização que não pôde fazer muito contra a lama, não evitou as grandes filas e rendeu-se aos problemas naturais causados pela grande concentração de pessoas num só lugar (como a presença de quadrilhas de ladrões de celulares). Porém, o saldo, desequilibrado positivamente pelos grandes shows, provou que todo bom festival tem sua melhor propaganda na escolha criteriosa de seu line up, o que nesse ano indiscutivelmente o Lolla fez muito bem. Sigamos aos shows do primeiro dia, marcados por relativa chuva e muita lama, mas muita lama mesmo :

564647_445664442187098_222500248_n (1)

Of Monsters and Men entraram pontualmente às 15h:15min no palco Butantã, e, como esperado, os islandeses trouxeram mais do que melancolia simpática. A banda, liderada pelos vocalistas Nanna Bryndís Hilmarsdóttir (uma espécie de doppelgänger de Bjork) e Ragnar “Raggi” Þórhallsson, mostrou-se encantada com a grande quantidade de público presente para apreciá-los num horário tão cedo, e mesmo sob uma garoa fina que obrigou o desembolso de algumas capas de chuva na plateia, ninguém desanimou. Pelo contrário, como previsto, o tom de celebração estava lá, juntamente com quase todo o seu álbum de debut, My Head is an Animal, com direito à já esperada cover de Yeah Yeah Yeahs, “Skeletons“. Os pontos altos foram “King and Lion Heart” e “Little Talks“, cantadas em uníssono pelos presentes, e justificando a empolgação que fez a charmosa Nanna descer do palco para cumprimentar a plateia durante o show. Lindo espetáculo, deu gosto de “quero mais” e despertou elogios da banda ao público e ao Brasil. Que venham mais shows, em novas turnês.

540762_445682805518595_2082581625_n

Alice Glass é sempre um show à parte. E durante a quase uma hora, iniciada pontualmente às 17h:15min no palco Alternativo, a performer, com cabelo roxo e meias-calças rasgadas, fumou, bebeu, se jogou três vezes na plateia ( em uma delas se apoiou na mão desse que vos escreve, para sua taquicardia), cantou e tocou junto a seu parceiro Ethan Kath. Um show que se distribuiu pelos três discos do duo (com foco no último, contando com “Plague“, “Wrath of God“, “Sad Eyes” e o hino “Baptism“), não desempolgou quem estava com lama até as canelas ( todo mundo). Talvez tenha ficado a impressão de que teria ganhado mais caso fosse à noite, bem como fica a menção da triste ausência de “Love and Caring” no setlist. Porém, o impressionante carisma da vocalista supera qualquer deslize de produção e escolha de repertório, tornando o show de Crystal Castles uma experiência memorável, e é impressionante uma dupla de música eletrônica com tanta atitude rock and roll. O desfecho com o hit “Alice Practice” foi apoteótico.

Flaming-Lips-Lollapalooza-2013-6

Com fama e promessa de performático, o show do Flaming Lips, bastante aguardado, levou grande público ao principal palco, Cidade Jardim, pontualmente às 18h:30min (aliás, que aqui seja ressaltada a pontualidade britânica dos espetáculos: impecável). Wayne Coyne, trouxe sua massacrada porém ainda potente voz acompanhada por um bebê-boneco, que fingia amamentar, e de onde saíam fios luminosos, os quais, se não remetiam a um conceito, levantavam curiosidade e uma estranha beleza. O show perdeu muito em potência devido ao grande número de novas músicas de um disco ainda não lançado, The Terror, e nem os clássicos “Yoshimi Battles the Pink Robots, Pt. 1” e “Do you Realize??” puderam salvar o que já estava disperso. Contudo, embora não empolgante, foi um bom show para se assistir com calma e, principalmente, descansar. O melhor – e mais cansativo- ainda estava por vir.

passion-pit-fernandoschlaepfer2

Terminado o recreio Flaming Lips, a corrida se voltou ao palco Alternativo, mais enlamaçado ainda, esperando-se animação e diversão por parte de Michael Angelakos & cia, o Passion Pit. Isso se confirmou: o rapaz realmente se esforça e encanta, embora o set list tenha tentado equilibrar músicas mais e menos agitadas, passeando pelos dois álbuns, Manners e Gossamer. Um começo avassalador com “I’ll be alright”, “The Reeling” e “Carried Away” jogou lama para todos os lados, mas aos poucos o show foi perdendo força, pela escolha de músicas menos conhecidas e por conta do cansaço. “Take a Walk” ainda levantou alguns acabados, mas foi o fim que realmente os despertou, com “Sleepyhead” e “Little Secrets“, fazendo da apresentação uma experiência irregular, mas satisfatória.

580210_445688528851356_727109738_n

Boa noite, São Paulo, nós somos The Killers e essa noite somos todos seus“, foi arriscando num português bem ensaiado, além de esbanjar potência vocal e simpatia, que Brandon Flowers e seus companheiros realizaram o melhor show da sexta-feira do Lollapalooza. Com atraso mínimo, e de energia máxima, por volta de 21h:40min eles subiam ao palco, e, de cara, com as pedradas “Mr Brightside” e “Spaceman“, o que se viu foi um verdadeiro espetáculo, de banda e de público. Set list harmoniosamente equilibrado, o show trouxe hits de todos os discos anteriores e ainda outras tantas do mais recente, Battle Born (“Miss Atomic Bomb“, “The Way it Was“, “Runaways” e “From Here on Out“). Também não foram esquecidas “Smile Like you Meant it“, “Human“, “Someboy Told Me“, “For Reasons Unknown” – em linda versão -, “All the things that I’ve Done“, e “When you were Young“, que fechou o set list. Uma banda com tantas músicas importantes, pode se dar ao luxo de deixar de fora “This River is Wild” (esperadamente excluída da turnê), bem como “Bling” e “Bones“, em nada comprometendo a performance. Foram 1 hora e meia de cansaço esquecido, a lama nesse momento já nem fazia diferença e a chuva que caísse não teria afugentado uma empolgação sequer. O show de The Killers foi uma gloriosa despedida do primeiro dia, que tanto prometia, e cuja expectativa se cumpriu em alta.

Anúncios

Especial: As bandas que você não pode perder no Lollapalooza Brasil (II)

Crystal Castles

É um duo formado em Toronto no ano de 2003 composto por Ethan Kath, multi-instrumentalista e a vocalista Alice Grass. Teve reconhecimento na midia quando seu nome apareceu em grandes declarações de famosos como a promessa de um grande sucesso, e logo depois apareceu no “50 álbuns da década” da NME.

O dueto já é famoso por tocar em diversos festivais ao redor do mundo com suas apresentações explosivas que contagia toda a platéia, fazendo quase impossível ficar parado durante a sua apresentação e ao entusiasmo de Alice, que não consegue se manter parada.  Com o set list basicamente do CD mais recente, Crystal Castels III (2012) já nos é dado a  certeza  que “Plague”, “Baptism”, “Doe Deer”, “Alice Practice” são músicas confirmadas para essa edição do festival.

Agridoce5

Agridoce

Dupla brasileira da cidade de São Paulo ano de 2010 formada por Pitty, cantora já conhecida por sua carreira solo, Pitty é responsável pelo teclado e no violão Martin Mendezz, e ambos tomam conta do vocal. A formação foi feita logo depois de um encontro casual aonde eles tocaram “Dançando” no livestream.

Os dois já deixaram claro que depois do Lollapalooza o projeto Agridoce não irá mais existir porém ainda se é esperado o lançamento do DVD no mês de Maio, eles já contam com novos planos inclusive a volta da banda Pitty para comemorar 10 anos de Admirável Chip Novo,  em entrevista falaram que o projeto da dupla era algo intimo e que não esperavam tamanha repercussão. O casal definiu o seu projeto como um “fofolk”, um folk de estilo mais fofo.  O público deve contar com uma mistura de músicas do seu primeiro e segundo álbum, mas não esperar tanta energia da parte de Pitty já que as músicas são mais calmas e um pouco menos dançantes.

Copacabana Club

Copacabana Club

O grupo foi formado em junho de 2007 em Curitiba e já passou por várias formações, atualmente contando com quatro integrantes: Caca V, Claudinha Bukowski, Carlos Carafeli Júnior e André França. Todas as músicas tocadas pelo é em Inglês e tem grande influência do Indie Rock, new wave e a música eletrônica e representa o Brasil dando um toque da Bossa Nova.

Em 2012, já com a nova formação fizeram turnê por Londres, com a ajuda de fãs Copacabana Club é mais um dos shows que ninguém consegue ficar parado, mas já sofreu criticas quando se apresentou no SWU no ano de 2011, não se sabe se foi por questões climáticas mas o nome da banda ficou associado com um show  morno.  O público deve esperar do setlist algo bem fiel ao seu mais recente CD, Tropical Splash (2011), mas sem deixar de fora os seus grandes clássicos como: “King of the night” e “Just do it”.

Criolo

Cantor nascido em São Paulo, no inicio da sua carreira era conhecido como Criolo Doido,canta o rap e o soul durante os seus 24 anos de carreira. Depois de muitos anos Criolo foi reconhecido nos anos 2000. Gravou o seu primeiro álbum em estúdio no ano de 2006, Ainda há tempo e um ano depois, no ano de 2007 foi convidado para participar do Som Brasil e fez parte da homenagem a Vinicius de Moraes.

No ano de 2011 Criolo lançou o seu álbum de mais sucesso, Nó na orelha, e recentemente o DVD também foi lançado, o fez ganhar diversos prêmios e teve uma grande critica no cenário internacional e esse CD será apresentado durante o festival com provavelmente algumas faixas extras. O músico já se apresentou ao lado de vários outros famosos, como Caetano Veloso.

O show é cheio de energia e tem um repertório bastante rico que vai de seus CDs até artistas que o mesmo tem grande admiração.

Vanguart

Banda formada no ano de 2002 em Cuiabá no Mato Grosso. De estilo folk rock e indie folk era para ser inicialmente um projeto solo do vocalista e violinista Helio Flanders, que chegou até a gravar dois discos que não foram oficialmente lançados, mas hoje conta com outros cinco integrantes.

Foi no ano de 2006 que os meninos lançaram um dos seus singles “Semáforo”, que graças a o sucesso foi possível a gravação do primeiro álbum, Vanguart, em 2007. O show dos meninos pode ser considerado bem esperado depois do sucesso da sua apresentação na Virada Cultural de São Paulo no ano de 2008, recebendo até critica de grandes jornais.

Durante o show deve ser apresentado o álbum Boa Parte De Mim Vai Embora que é o trabalho mais recente, lançado em 2011 e alguns dos seus singles, dos mais antigos aos mais atuais.

Festa Atividade FM, Especial Lollapalooza

lollaparty

A primeira festa Atividade FM apresenta um especial Lollapalooza, isso no dia 17/03 (Domingo). A festa serve de aquecimento para todos que vão para o festival, e ainda, para aqueles que não podem ir, possam também sentir o clima com as músicas dos artistas do line up.

No dia, tocaremos todos os grupos que vocês amam e que estão presentes na programação. Tocamos músicas de bandas que tocam no Lollapalooza deste ano, e que fizeram parte do line up do ano passado. Faça sua recomendação na página do evento.

The Killers, Franz Ferdinand, Kaiser Chiefs, Two Door Cinema Club, Hot Chip, Foals, Major Lazer, Cake, Passion Pit, Black Keys, Deadmau5, The Flaming Lips, Queens Of The Stone Age, Crystal Castles, Of Monsters and Men, The Temper Trap, Holger, Alabama Shakes, Toro Y Moi, The Hives, Arctic Monkeys, Foo Fighters, Foster the People, MGMT, Joan Jett, Gogol Bordello, Cage The Elephant e muito mais!

As discotecagens serão comandadas por Felipe Matheus (DJ set Atividade FM), Sarah Blackbird e Ravi Freitas.

Confirme sua presença no evento do facebook.

Serviço:

Local: Vila do Porto. (Antiga Intoca, Centro Histórico, Frente ao Hotel Globo)

Dia: 17/03 (Dom), 16h.

Entrada: R$ 10,00 nome na lista / R$ 12,00 sem nome na lista.

Nome na lista: Enviar nome completo e RG para atividadefmblog@gmail.com.

Aviso: Proibida a entrada de menores de 18 anos.

Veja line up completo e informações dos ingressos do Lollapalooza Brasil 2013

Acabou de ser divulgado, em uma entrevista coletiva com a produção do Lollapalooza Brasil, o line up completo da edição 2013 . O festival acontece nos dia 29, 30 e 31 de março, no Jóquei Club, e possui como headliners o The Black Keys, Pearl Jam, Queens of The Stone Age, The Killers e o Planet Hemp.

O festival ainda conta com atrações internacionais como Cake, Flaming Lips, Franz Ferdinand, The Hives, Kaiser Chiefs, A Perfect Circle, Of Monsters and Men, Two Door Cinema Club, Passion Pit, Crystal Castles, entre vários outros. Keane e Bad Brains que estão no line up do Lolla Chile não estão no line up da versão brasileira. Também estão confirmadas na programação as bandas nacionais Holger, Criolo, Ludov, Vivendo do Ócio, Boss In Drama e outros. Confira na imagem abaixo o line up completo:

Ingressos:

O Lollapass, ingresso promocional de pré-venda para os três dias de festival, custa R$ 900,00 reais inteiro, a meia-entrada fica por conta de R$ 450,00 reais. Fora a taxa de 20% cobrada pelo site de vendas. Os valores podem ser divididos em até 5x vezes no cartão.

Os ingressos para o público geral (fora da pré-venda) serão comercializados a partir das 00:01h do dia 16/10/2012. Em breve, no dia 16 deste mês, sairá a programação de cada dia do festival. O valor será de R$ 360,00 reais, ingresso inteiro, e de R$ 180, ingresso meia-entrada.

Venda disponível antes dessa data acima será apenas para pré-cadastrados no site www.lollapaloozabr.com até 27 de setembro de 2012, e que tenham recebido a senha para pré-venda, que começou a ser enviada hoje.

Compra na pré-venda:

Passo 1: Entre no site http://www.lollapalooza.showcard.com.br/ e coloque sua senha.

Passo 2: Após entrar no portal, relembre seu usuário e senha (caso já tenha comprado o ingresso em 2012), ou cadastre-se.

Vídeo com line up:

Site chileno mostra possível line up do Lollapalooza de Santiago

Um dos maiores sites de música no Chile, o Hxclife.com, divulgou hoje, faltando apenas três dias para o anúncio oficial da produção do Lollapalooza Brasil, uma imagem e um possível line up definitivo para a versão chilena, sendo assim, divulgando ainda algumas atrações que estarão na versão brasileira.

No texto do site:
“Es así como en HxC Life, y a través de nuestros informantes, conseguimos lo que parece ser el Line Up definitivo de las dos jornadas del evento. Comprobamos a través de diferentes fuentes, tanto en Brasil como en Argentina, que dicho listado sería el definitivo” – Tradução: (E assim, na HxC life, através de nossos informantes, temos o que parece ser o line up definitivo dos dois últimos dias do evento. Nós verificamos através de várias fontes, tanto no Brasil e na Argentina, que a lista seria a definitiva).  Leia no próprio site da HxC.

Segundo o site o line up seria este:

Pearl Jam | The Black Keys | Deadmau5
A perfect Circle | Franz Ferdinand | The Hives | Hot Chip
Kaskade | Steve Aoki | Puscifer | Two Door Cinema Club
Tomahawk | Kaiser Chiefs | Keane | Nas | Passion Pit
Crystal Castles | Porter Robinson | Foals
Major Lazer | Los Tres | Manuel García | Alabama Shakes
Chancho en Piedra | Zeds Dead | The Temper Trap
Feed Me Gary Clark Jr. | Of Monsters and Men | Bad Brain | Gepe
Marcelo D2 | Toro y Moi | Dread Mar I | Dj Marky |
Banda Conmoción | Carla Morrison | Russian Red | Poncho
Perrosky| De Saloon | Protistas | Zonora Point | Mecánico
Red Oblivion | Kali Mutsa | Resina Lala | Tréboles | Agents
Intimate Stranger | Keko Yoma | Daniel Klauser

Esta versão exclui o The Killers, M83 e o Vampire Weekend, que estava na imagem da boataria no começo da semana (veja mais neste post), e inclui o DeadMau5, The Hives, Foals e Keane.

O evento acontece nos dias 6 e 7 de abril, novamente no Parque O’Higgins, em Santiago.

Agora só resta esperar o anúncio oficial da produção. O anúncio das atrações do Chile será no domingo e na segunda-feira será a vez do Brasil conhece-las. O que vocês acharam deste possível line up? Comente abaixo.